TUDO ACEITA E NADA MERECE

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

A IGREJA CATÓLICA NA MIRA DO NUNES

Segundo informações fidedignas depois de meter na ordem restaurantes, casinos e discotecas o novo alvo escolhido pela ASAE vai ser a Igreja Católica, onde há sinais mais que evidentes de incumprimento das normas de Bruxelas relativas à higiene e muitas dúvidas quanto ao respeito pela proibição de fumar nos espaços fechados.
Ao contrário do que sucede com os casinos, onde a lei dos jogos permite ao Nunes fumar as suas cigarrilhas-mata-ratos (ao que consta de uma marca espanhola de baixissima qualidade) , a Concordata nada diz quanto à possibilidade de fumar nos locais de culto, designadamente, nas sacristias e outras zonas reservadas, pelo que, se Sua Eminência Reverendíssima o Cardeal Dom José da Cruz Policarpo, quiser dar a sua "passa" não terá o mesmo privilégio do Nunes e terá que o fazer ao relento, à chuva, ao vento e ao frio, no adro da Sé.
É que o Nunes, dando eco à voz do dono e numa interpretação ressabiada e jacobina, considera que a lei anti-tabaco se aplica às igrejas porque estas são justamente o local de trabalho do clero. Mais, nelas há atendimento directo de público. Mais ainda, no seu interior pratica-se a catequese pelo deverão ser consideradas estabelecimentos de ensino (em tudo iguais a esses pavilhões pré-fabricados que pululam pelo país e dão pelas expressivas designações de C+S qualquer coisa) e portanto locais destinados a menores de 18 anos!
Por conseguinte, a situação é tensa e preocupante.Tanto quanto, se sabe, nenhuma igreja afixou o dístico de proibição de entrada de fumadores, num gesto que só pode ser entendido com uma afronta da hierarquia católica ao poder pessoal do Nunes.
Mais grave ainda. Ao contrário do que sucede com os outros estabelecimentos onde as beatas são visíveis à porta, nas igrejas é no interior que estas normalmente se juntam, situação que indicia não só um manifesto desrespeito pela lei como uma provocação à autoridade do Nunes.
Para agravar ainda mais a situação, toda a gente sabe que o cardeal patriarca de Lisboa é um fumador incorrigível, ( havendo até quem comente que só não se mudou para a Praça de São Pedro porque o fumo do tabaco iria pôr em risco a conservação dos fresco da Capela Sistina), dando assim um péssimo exemplo ao seu rebanho.
Situação que o Nunes vê com muita preocupação e que segundo alguns observadores justifica e torna inevitável uma mega operação policial que vai fechar muitas das nossas igrejas, a começar pela Sé de Lisboa, onde os rangers da ASAE, treinados pela CIA, vão ter a oportunidade de mostrar pela primeira vez as suas aptidões pois assaltarão de surpresa aquele templo, numa tentativa de surpreender D. Policarpo agarrado ao cigarro em plena sacristia.
Mas o tabaco não é a única razão para esta intervenção da ASAE.
Subsiste ainda a questão da pública e notória falta de higiene nos “estabelecimentos” religiosos (assim chamam os homens do Nunes às Igrejas).
É frequente ver o cardeal patriarca dar o seu anel a beijar aos crentes sem cuidar da sua higienização entre cada lambidela, o que justifica a intenção do Nunes confiscar o anel para que sejam feitas análises microbiológicas no Instituto Ricardo Jorge, a fim de identificar todos os germes que vivem neste pequeno jardim zoológico cardinalício.
Para além do cachucho de Sua Eminência Reverendíssima, o Nunes está também preocupado com o facto dos estabelecimentos religiosos não estarem equipados com WC (em inox mod.XPTO com pedal de abertura para águas quentes e frias) , obrigando os crentes a virem fazer as necessidades biológicas à rua, o que é motivo para determinar os seu encerramento até que uma nova inspecção da ASAE autorize a sua reabertura, tal como sucedeu com a Ginginha do Rossio ou com o Galeto.
Uma segunda linha de preocupações refere-se às condições em que são usados produtos alimentares nas celebrações da missa, designadamente, vinho e hóstias. Quanto ao vinho a ASAE tenciona verificar se as igrejas têm condições adequadas à lavagem dos cálices estando a estudar a possibilidade de proibir a utilização de cálices de metal pois os óxidos produzidos no seu interior podem prejudicar a saúde. Em sua substituição a ASAE pretende sugerir a utilização de cálices de plástico descartáveis ou de vidro pirex.
Mas mais grave do que usar cálices em condições de higiene duvidosas e sem que as sacristias tenham o mínimo de condições de assegurar a sua higienização como mandam os protestantes de Bruxelas, é a forma como as hóstias são distribuídas pelos crentes. Os padres entregam-nas sem ter o cuidado de usar luvas (sabe Deus onde andaram, com as mãos...), quando deveriam usar luvas de látex e as hóstias deveriam estar embrulhadas individualmente em papel celofane, onde deveria estar impressa a sua composição, local e data de fabrico, data de validade e a indicação de que foram utilizados cereais transgénicos.

O Nunes não pára!

9 comentários:

Zé Costa disse...

O Nunes, está de facto imparavel, vai se a ver e o vinhinho terá de ser de região demarcada colheita com mais de 5 anos e em undidoses de 10 ml, o corespondente a cada missa, quanto às hostias, o minimo que se tem de exigir, é mesmo a sua esterilização.

Zé Costa

Chico disse...

Muito bom esta posta, do melhor que tenho lido, Ò Grande Olissipo!

Dá vontade de rir e parodiar, mas há mta pequena economia familar a ver os seus dias contados à conta desta merda (não há outra palavra!)
Um gajo vai a uma cidade espanhola, seja ela qual for, e só vê bares de tapas apinhados de cojonudos, verdadeiros escórias, que comem o que lhes dão e não refilam, mas o que é certo é que estão apinhados!
É ver o chão dos ditos bares aparentemente sujo, cheio de guardanapos, e raciocinar "quantos mais papéis no chão tiver melhor, é porque é muito frequentado, é porque é bom!
Há que dar a mão à palmatória e admitir que com os espanhóis não brincam, não há cá leis antitabaco fundamentalistas nem ASAE's a meter o bedelho!

Por falar em missas, sempre há uma esta sexta feira? É que apetece-me chular uns cotas...eh eh!

escória-porco disse...

É o post do ano na blogosfera. Mesmo sem merecermos agradecemos a dádiva.

Joana Nicolau disse...

É uma preocupação mais que legítima, esta do Nunes!

A equiparar ao exemplo espanhol ali do escória-legítimo Chico, também na República Checa temos o exemplo do benefícios de um país sem leis estúpidas sobre o tabaco e sem nova-polícia ASAE. Eles têm espalhados por todo o país uns bares a que chamam "NON-STOP", que são, literalmente, bares que nunca fecham.

No primeiro dia em que lá estivémos passámos por um. Na minha inocência, perguntei ao nosso guia checo "então mas quando é que eles fecham para limpeza?" ao que ele me responde "Não fecham. A última vez que esse bar fechou para limpeza foi quando houve um incêndio na cozinha, em 1993".

Escusado será dizer que, dado que o comércio fecha as 18 (excepto o MacDonalds, que é as 22h) e os locais de entretenimento fecham as 2 ou 3 da manhã, se não fossem estes bares, os pobres checos não tinham onde fumar, jogar às cartas e comer a bela ceia pela madrugada fora!

Chico disse...

Apraz-me ver a nossa ala feminina em consonância(o contrário já aconteceu e por pouco não originava um cisma, que é sempre indesejável!)

Agora outra assunto:
"Escória-legítimo"?! Isso não será uma redundância, cara escória Joana?

Cumprimentos para si e para os seus.

P.s: Tenho pena que não possa ir na sexta...

Joana Nicolau disse...

Ora essa, não me gratifica especialmente estar em desacordo com o MAE, tal manifestação de discordância trata-se de uma necessidade ideológica, nada mais.

Utilizo o termo "escória-legitimo" por contraposição ao meu estatuto de "putativa-escória". Trata-se de uma clarificação, nada mais.

Quanto a sexta-feira, recuperando a nossa saudável troca de ideias anterior...

Não frequento jantares que aceitem a minha presença :)

Olissipo disse...

É sempre enternecedor e até comovente ver a juventude escória em animadas picardias, muitas delas por-dá-cá-aquela-palha.
Continuem jovens escórias que o MAE é vosso!.
Quanto ao jovem Xico lhe apetecer "chular uns cotas" pois ele que apareça com o dinheirinho do Natal que a gente senta-o nos joelhos e dá-lhe bons conselhos!

Olissipo disse...

É sempre enternecedor e até comovente ver a juventude escória em animadas picardias, muitas delas por-dá-cá-aquela-palha.
Continuem jovens escórias que o MAE é vosso!.
Quanto ao jovem Xico lhe apetecer "chular uns cotas" pois ele que apareça com o dinheirinho do Natal que a gente senta-o nos joelhos e dá-lhe bons conselhos!

Xico do Canto disse...

Óh homens de pouca fé. O tio NUNES tem solução para tudo. Consta que Sua Eminência mandou Humildemente pedir à ASAE a melhor orientação terrena sobre a "satisfação do vício" na casa de Deus, ao que chegámos. Prontamente o tio NUNES, fiel ao seu princípio de proibição do tabaco nos "locais de trabalho", sugeriu a transferência das igrejas para o interior dos casinos. Vantagens: pode-se fumar, sem pecar e têm imensa matéria prima para trabalhar (redimir).