TUDO ACEITA E NADA MERECE

domingo, 25 de janeiro de 2009

Homenagem ao Carlinhos

O BAILE DO BURNAY

Naquele salão iluminado
por vistosos candeeiros
em redor os convidados
cabrões, putas e paneleiros

um pipi todo emproado
com voz fina de falsete
lê o programa da festa
cona, broche e minete

quase no meio do salão
um fidalgo semi-nu
mostra a todos os convidados
como se leva no cu

uma elegante senhora
desprovida de vergonha
limpa nos cantos da boca
quatro pingos de langonha

e este famoso baile
realizado em cascais
ficou gravado a ouro
na história dos bacanais

rabichos de sangue azul
e putas de alta roda
vão todos dançar o vira
o vira do cu e da foda

as meninas fressueiras
em cima de uma poltrona
vão dançar a noite inteira
o raspa das mamas e conas

uma vampe desconhecida
que por vergonha não fode
dá beijinhos na pichota
dum matulão de bigode

um rapazinho da moda
desses de cara barbeada
enquanto leva no cu
lambe a cona à namorada

uma loira escandalosa
bailarina de casino
por detrás de um cortinado
ensaia o broche de pino

ao fundo do corredor
dois vultos sobre o tapete
ela a chupar o caralho
e ele a fazer um minete

a um canto abandonada
uma velha solteirona
por não ter quem a console
mete uma garrafa na cona

tudo fodeu minha gente
pais, filhos e mais familia
e por fim insatisfeitos
foram foder a mobilia

foderam no nobre salão
no corredor e no bufete
comeram dentro do cu
linguado, broche e minete

de tanto gozo e prazer
de tanta pouca vergonha
aquele salão mui nobre
ficou num mar de langonha.

estes são alguns aspectos
desse baile colorido
em que fodeu toda a gente
e só um ficou fodido

4 comentários:

Chico disse...

Sublime...

Álvaro disse...

Conhecia parte duma versão ligeiramente diferente, desde os meus tempo do Liceu Passos Manuel... Quem será o autor?

maria filomena disse...

Estou a ver que tiveste um liceu muito INTENSO!! No meu tempo não era assim... Nem podíamos ir de calças!

Anónimo disse...

Digno de Du Bocage